Canadá quer 1,5 milhão de novos imigrantes até 2025 e aumenta lista de profissões elegíveis para a residência permanente

Para suprir a escassez de mão de obra no mercado de trabalho, o Canadá quer atrair cerca de 1,5 milhão de novos imigrantes entre 2023 e 2025. A meta recorde faz parte do Plano de Imigração recém-divulgado pelo governo. “A imigração é fundamental para o crescimento de nossa economia e para ajudar as empresas a encontrar os trabalhadores de que precisam”, afirmou o Primeiro Ministro canadense Justin Trudeau. 

Com isso, o país pretende acolher mais 465 mil pessoas em 2023, 498 mil em 2024 e 500 mil em 2025 – um total de quase 1,5 milhão. Esses números superam recorde anterior, o do período entre 2016 e 2021, quando 1,3 milhão de pessoas conquistaram a residência permanente no Canadá. Atualmente, quase um quarto (23%) da população canadense é de imigrantes, a maior proporção em 150 anos, de acordo com o mais recente censo do país. 

“Precisamos de mais gente em todas as regiões do país e em todos os setores, como por exemplo trabalhadores da linha de frente da Saúde, motoristas de caminhão, construtores e engenheiros de software”, enumerou Sean Fraser, ministro da Imigração canadense.

Nova classificação de ocupações torna mais 16 profissões elegíveis para imigração 

Outra iniciativa anunciada pelo Governo do Canadá este mês incluiu mais 16 profissões na lista das elegíveis para processos de residência permanente. Trata-se da mudança, a partir de 16/11, no parâmetro nacional de identificação de ocupações no país: o NOC (National Occupation Classification) foi substituído pelo TEER (Training, Education, Experience and Responsabilities).

“A cada 10 anos, o governo federal atualiza o parâmetro para melhor refletir as mudanças no mercado de trabalho e na economia do país”, explica a consultora de imigração Juliana Klapouch, sócia da Klaps Immigration Consulting. Cada NOC/TEER possui uma lista de cargos e profissões – e a maioria dos candidatos a imigrantes precisa identificar sua profissão nessas classificações para se encaixar nos programas de imigração. A grande novidade é que sai de cena o conceito genérico de “skill level” dos NOCs e passa a valer a combinação de treinamento, educação, experiência e responsabilidades do TEER. A nova classificação tem seis categorias, uma a mais que o sistema anterior.

“Para programas de residência permanente que antes pediam experiência profissional no NOC 0, A ou B, como os via Express Entry e alguns provinciais, agora a experiência precisará ser dentro do TEER 0, 1, 2 ou 3”, afirma Juliana. Segundo ela, o ponto positivo da nova classificação é que 16 ocupações que antes pertenciam ao NOC C passaram para a lista do TEER 3, sendo agora elegíveis para o Express Entry. Três outras, porém, fizeram o caminho inverso e estão inelegíveis. “A meu ver, essa mudança será mais positiva do que negativa, pois mais ocupações foram adicionadas”, ressalta. 

Confira as 16 ocupações agora elegíveis para imigração: 

Payroll Administrators
Dental Assistants and dental laboratory assistants
Nurse aides, orderlies and patient service associates
Pharmacy technical assistants and pharmacy assistants
Elementary and secondary school teacher assistants
Sheriffs and bailiffs
Correctional service officers
By-lay enforcement and other regulatory officers
Estheticians, electrologists and related occupations
Residential and commercial installers and servicers
Pest controllers and fumigators
Other repairers and servicers
Transport truck drivers
Bus drivers, subway operators and other transit operators
Heavy equipment operators
Aircraft assemblers and aircraft assembly inspectors

Confira as três ocupações que deixaram de ser elegíveis:

Other performers (circus performer, clown, fashion model, magician etc)
Program leaders and instructors in recreation, sport, and fitness
Tailors, dressmakers, furriers, and milliners

Para quem vai fazer College no Canadá – um dos principais caminhos para a imigração –, é fundamental saber como se encaixar no sistema de classificação de ocupações. “Uma etapa importante do Plano Canadá é entender como suas habilidades profissionais se encaixam nas necessidades do mercado canadense”, afirma Camilla Lopes, fundadora e diretora de Marketing da Hi Bonjour. Ela acrescenta, ainda, que a análise do TEER auxilia na hora de escolher que curso fazer e em que província morar. “Desta forma, você será o profissional certo no local certo”, conclui.   

Consulte o site oficial do Governo do Canadá para descobrir qual o seu TEER.

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário

Chat via Whatsapp
Enviar via WhatsApp