Da engenharia ao marketing: conheça a trajetória de Tereza no Canadá

Eu fiz intercâmbio para Itália em 2012, e foi a minha primeira experiência morando fora. Nunca tinha viajado de avião ou morado sozinha e aquela oportunidade foi libertadora, pois achava que as coisas só eram possíveis para os outros. Não enxergava a abundância que existe nesse mundo. E foi durante esse ano que me veio o desejo de conhecer mais, novas culturas, lugares e desbravar mais desse mundão. 

Depois de um ano lá, eu estava louca para voltar para o Brasil. Quando retornei foi maravilhoso matar a saudade da minha família e de tudo. Só que, 2 semanas depois, já queria sair do país novamente! Não me sentia segura, não enxergava grandes perspectivas de mudança, e as coisas não fluíam como eu gostaria. Naquele momento, me concentrei em me formar, pois estava terminando engenharia na época, e em seguida comecei a trabalhar na indústria, como coordenadora de projetos. Foi nesse momento que comecei as pesquisas sobre as possibilidades de lugares para morar e logo surgiu o nome Canadá.

Tereza curtindo a primavera em Kitchener, Ontário

Buscando mais qualidade de vida, segurança, oportunidades profissionais melhores, liberdade e poder de compra, coloquei na cabeça que queria morar no Canadá. Mas o sonho ficou quase 10 anos no papel. Não sabia de que forma eu poderia realizá-lo, não procurei ajuda e na correria do dia a dia, logo fui deixando de lado esse desejo. Durante esse período mudei até de área profissional e comecei a atuar na área de Marketing.

Um pouco antes da pandemia, aquela vontade voltou a pulsar no meu coração e, agora, no do meu marido também. Entrei em contato com uma amiga da faculdade que estava aqui há alguns anos e expliquei a situação. Ela prontamente me falou das possibilidades e me recomendou a Hi Bonjour. Eu entrei em contato e eles fizeram todo um planejamento para que, dessa vez, o sonho se tornasse realidade o mais rápido possível. 

Eu pretendia cursar marketing aqui, mas na época o meu inglês não era lá essas coisas, fiz a prova três vezes e não consegui nota suficiente. Eles exigiam 115 para marketing e consegui 110. Então, decidi escolher um programa que eu pudesse iniciar logo e me desse a possibilidade de aprender algo alinhado ao que gosto e, ao mesmo tempo, que eu pudesse trabalhar com marketing por conta da minha experiência, além de me dar a opção do PGWP. Então optei por Business. 

Escolhi vir para a região de Waterloo, pois pelas minhas pesquisas, o mercado de trabalho aqui é bem aquecido e, principalmente, porque já tinham pessoas conhecidas morando na região, o que pra mim seria maravilhoso. Com o visto em mãos, viemos eu e o meu marido escrever mais um capítulo da nossa história, dessa vez em terras canadenses. Chegamos no inverno, eu para estudar Business e ele com o visto de trabalho. Estamos aqui há 6 meses e eu teria tomado essa mesma decisão mais um milhão de vezes.

Todo início é desafiador, tudo é novidade, mas estávamos decididos desde o início a fazer dar certo. As coisas aqui acontecem muito rápido, parece que vivemos 3 anos em 6 meses (haha). No primeiro semestre me dediquei ao college, a desenvolver o meu inglês e também juntar dinheiro. Hoje estou cursando o meu segundo semestre e consegui um trabalho part time dentro do college, no setor de marketing (glória a Deus haha). O que parecia impossível, aconteceu. Estou trabalhando home office, como social media ambassador no Conestoga College. 

Desde que cheguei tinha essa intenção. Me inscrevi para a vaga no primeiro semestre, mas não fui chamada para a entrevista. Então, segui todas as redes sociais do college, para ficar de olho nas oportunidades de trabalho, treinei para a entrevista e me inscrevi para a vaga assim que abriu antes do segundo termo. Fui chamada para a entrevista e em seguida contratada.

Hoje posso dizer que estou vivendo um sonho. Desenvolvendo cada vez mais o inglês, morando em um lugar que estou adorando e realizando muitos sonhos. Quando alguém me pergunta sobre um lugar preferido na região de Waterloo, lembro sempre do Victoria Park. Aqui tem bastante opção de lazer, mas o Victoria Park para mim é o cartão postal. Lá é possível fazer um pic nic com os amigos, ir para shows, eventos e curtir a natureza e a vibe da cidade. Eu amo!

As minhas expectativas em relação ao Canadá continuam sendo altas e graças a Deus, até agora, só tenho gratidão no coração. 

Tereza Galindo, estudante de Business no Conestoga College.

Gostou deste artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário

Chat via Whatsapp
Enviar via WhatsApp